Meditação Matinal
25/10/2014


Ligação Permanente

Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer. Luc. 18:1

Em nenhum ponto de nossa experiência podemos nós dispensar a assistência daquilo que nos habilita a fazer justamente o começo. As bênçãos recebidas sob a chuva temporã, são-nos necessárias até ao fim. No entanto, só isso não nos basta. Embora acalentemos as bênçãos da primeira chuva, não devemos, por outro lado, perder de vista o fato de que sem a chuva serôdia, para encher a espiga e amadurecer o grão, a colheita não estará pronta para a ceifa, e o trabalho do semeador terá sido em vão. Necessita-se da graça divina no começo, da graça divina em cada passo de avanço; só a graça divina pode completar a obra.

Não há lugar para descansarmos em descuidada atitude. Nunca devemos esquecer as advertências de Cristo: "Vigiai em oração." "Vigiai, pois, a todo tempo, orando." Luc. 21:36. A ligação a cada momento com o Agente divino é essencial ao nosso progresso. Podemos ter tido uma medida do Espírito de Deus, mas tanto pela oração como pela fé devemos buscar continuamente mais do Espírito. Nunca dá resultado cessarmos os nossos esforços. Se não progredirmos, se não nos colocarmos na atitude em que tanto possamos receber a chuva temporã como a serôdia, perderemos nossa alma e a responsabilidade jazerá à nossa porta.

"Pedi ao Senhor chuva no tempo das chuvas serôdias." Zac. 10:1. Não fiqueis satisfeitos, pensando que no curso habitual da estação a chuva cairá. Pedi-a. O crescimento e a perfeição da semente não recaem sobre o lavrador. Só Deus pode amadurecer a colheita. Mas se exige a cooperação do homem. A obra de Deus por nós exige a ação de nossa mente, o exercício de nossa fé. Se queremos receber os chuveiros da graça, devemos buscar-Lhe os favores de todo o coração.

Devemos aproveitar toda oportunidade de nos colocarmos no conduto da bênção. Cristo disse: "Onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, ali estou no meio deles." Mat. 18:20. As convocações da igreja, como nas reuniões campais, as assembléias da igreja local, e todas as ocasiões em que há trabalho pessoal em favor das almas, são oportunidades determinadas por Deus para dar tanto a chuva temporã como a serôdia. Review and Herald, 2 de março de 1897